Champagne Gun

Já várias vezes me convidaram para jogar Paintball e recusei sempre, mas se me convidassem para jogar Champagne Gun aceitava na hora!!!

Numa das minhas buscas na net encontrei as Champagne Gun e, apesar de achar um desperdício de champagne, achei muita graça! São uma espécie de arma mas em bom, e em vez de balas carregam-se com  champagne.
A brincadeira não sai barata, e diga-se a bem da verdade que é um bocado à novo rico, mas tem muito mais piada ser atingido por champagne à beira de uma piscina, que por uma bala de tinta no meio do mato!

img_1638-1img_1639-1img_1640-1

 

 

Agenda da Felicidade | Nita Domimgos

A semana passada estava a vaguear pelo facebook e dei de caras com uma foto da Agenda da Felicidade no mural da minha princesa inspiradora Pituxa, claro que não descansei enquanto não tive a minha! 

O próprio nome diz tudo, Agenda da Felicidade, quem é que não quer ser feliz?!? Quem é que não quer começar e acabar o ano feliz?!? Quem é que não quer agarrar o novo ano?!? Não faço ideia, nem quero saber que deve ser uma pessoa sem sonhos e eu não quero pessoas que não sonham perto de mim, a menos que seja para partilhar os meus até os dela voltarem. 

O interior é simplesmente delicioso, com mensagens inspiradoras que nos fazem pensar no que realmente é importante, e a verdade é que às vezes andamos tão embrulhados em assuntos que daqui a uma semana nem são assim tão importantes que nem apreciamos as graças que a vida nos dá, e nada melhor que uma agenda para nos lembrar, que as agendas servem exactamente para nos recordar o que temos de fazer no nosso dia a dia. E como começa em setembro e dura até ao final de 2016, podemos usar já!!! Weeee :))

Como se tudo isso já não fosse suficiente Pink, 2€ do valor da Agenda da Felicidade reverte a favor da Associação Princesa Leonor, Aceita e Sorri.                      

Se podia ter uma agenda sofisticada em pele monogramada como andava à procura? Podia mas não me ia fazer tão feliz!!! 

Comprar AQUI

The Champagne Diet 

Não me perguntem como nem quando que a minha memória de peixe não me permite responder a tais perguntas, mas um dia sabe Deus como descobri no instagram a The Champagne Diet, apaixonada por champagne como sou achei que devia ser a melhor dieta do mundo e fui logo espreitar, descobri que não é uma dieta propriamente dita mas um modo de vida, melhor que isso, descobri que do outro lado do oceano existe uma pessoa que vê a vida de uma forma muito semelhante à minha e fui explorar tudo!

The Champagne Diet é o blog de Cara Alwill Leuba, Master life coach, que tem como objectivo ensinar todas as mulheres a viverem o que a própria denomina the Champgne Life. O objectivo não é criar um grupo de AA com membros glamourosos, mas trazer para o nosso dia a dia todo o glamour que merecemos e que o Champgne representa. 

Neste momento já lançou 4 livros e eu comecei a lê-los agora. Comecei pelo segundo “sparkle” que o primeiro parece-me ter mais a ver com alimentação, cozinha e como já não é novidade para ninguém a cozinha não é o meu departamento. Até agora estou a gostar e recomendo a todas as meninas que querem uma Champagne Life. Verdade que para a maioria de nós não ensina nada de novo, mas há coisas que devemos relembrar de tempos a tempos, mais que não seja para não deixar morrer todo o glamour que existe nas nossas vidas! 

  
    
    
 

Snapchat

Quando em 2008 decidi criar a minha conta no facebook, e anunciei a todos o abandono da conta HI5, todos me perguntavam o que ia para lá fazer, que era uma porcaria, e que não servia de nada. Aconteceu o mesmo quando em 2012 abri conta no instagram, e sei que irá voltar a acontecer quando falar do Path e Snapchat. 

Excepção feita ao Hi5, que morreu de vez, umas redes sociais não invalidam as outras, e felizmente dá para partilhar dumas para as outras o que nos poupa imenso tempo. Twitter, facebook, tumbr, linkdin, Path, Snapchat, estou em todas como Rita Salgueiro ou Nini Salgueiro.
A mais recente é o snapchat, está a ter imensa aderência à nível mundial mas aparentemente não serve para muito. Criam-se histórias por vídeo ou imagem, enviam-se mensagens aos amigos que desaparecem em segundos (pode dar jeito) e ponto. Até agora não estou a perceber o fascínio, mas nunca se sabe o que pode sair daqui!

Palacete Chafariz D’el Rei!

É possível que a próxima vez que acordar esfomeada não consiga reserva no palacete e me arrependa de ter feito este post, mas a verdade é que tenho de partilhar este espaço Pink com o mundo!

Ultimamente quando acordo esfomeada o primeiro pensamento que me vem à cabeça é “brunch no Palacete D’el Rei”. Descobri o espaço há uns meses e desde então fiquei fã. O brunch é óptimo, a vista fantástica e o palacete está muito bem redecorado. O preço é ainda melhor!
Das 3 salas interiores a que mais gosto é a primeira do lado esquerdo, a sala dos espelhos, num verde acolhedor iluminado por uns lustres de fazer inveja a Versailles. Mas apesar de gostar muito do espaço e o achar perfeito para os dias de inverno, o que me leva até lá é mesmo o brunch… porque ainda não experimentei o lanche! A ementa é fixa mas tem partes opcionais. Opto sempre pelo iogurte com frutas, mel e amêndoas, que era o suficiente para ficar bem, e os ovos com farinheira e salmão, porque quero virar lontra. O resto é fixo, Croissants, vários tipos que pão, queijos, doces e fiambre. Até hoje nunca conseguimos sair de lá com os pratos vazios, (o que eles consideram um brunch para 2 cá em casa chegava para 3 ou 4!) mas saí sempre satisfeita e com vontade de voltar.

Tenho de arranjar tempo para ir lanchar que ando com desenho de scones há mais de um mês!

IMG_0519.JPG

IMG_0517.JPG

IMG_4188.JPG

IMG_4189.JPG

IMG_4185.JPG

IMG_4186.JPG

IMG_0520.JPG

IMG_0518.JPG

Vida de solteiro… a felicidade que muitos desconhecem!

Numa tive medo da solidão nem de ficar sozinha. No entanto tive sempre relações longas (4, 10 e 2 anos), como não sou adepta do rei morto rei posto, fiz intervalos de um ano, ano e meio entre elas, que me provaram que sozinha sou muito Feliz. Acredito que é necessário fazer o luto, aproveitar para fazer tudo o que queríamos, e não dava jeito que o namorado não gostava, e que facilmente aprendemos a ser felizes sozinhos. Quando me tentam arranjar namorados, percebo como estou tão melhor sozinha e digo que agora não me dá jeito que a minha prioridade é o trabalho e um namorado só vinha atrapalhar. Quando me perguntam o que faria se aparecesse o homem da minha vida? Digo a verdade, que não o mandaria aparecer daqui a 6 meses, embora me desse muito jeito, e que faria o que sempre fiz. Atirava-me de cabeça, sem jogos, sem medo de sofrer, e de peito aberto. Mesmo sabendo que me posso magoar, sou uma romântica e acredito que só vale a pena entrar numa relação se for de coração aberto e pronta para amar. Caso contrário estou muito feliz sozinha!

Por muito que a sociedade me veja como uma solteirona ou encalhada, que me ache egoísta por não querer ter filhos, estou-me literalmente nas tintas! Não por ser egoísta, mas por ser feliz, muito feliz mesmo, e muito mais feliz que a maioria dos casais que conheço. Não me sinto minimamente sozinha, pelo contrário, estou muito bem acompanhada comigo própria. Pior… chego ao ponto de inventar desculpas para não sair e ficar sozinha comigo!
Por vezes tento explicar aos que estão mal acompanhado, e aos que sofrem por estar sozinhos, que a vida de solteiro é simplesmente maravilhosa. Mas parece que ninguém percebe.

Ontem descobri um post num blog brasileiro, que descreve tudo, percebi mais uma vez que não sou a única, que somos poucos a pensar assim mas que somos realmente felizes, e sabemos exactamente porque somos felizes solteiros. Percebi que os outros não percebem o que sinto porque não acreditam que isso seja possível. Mas é, e é fabuloso! A prova disso é estar aqui mais um a defender do mesmo… a ver se é desta que acreditam!

“E a namorada?” Alguém vai me perguntar. Aí vou sorrir e responder: “Estou solteiro!”. E logo depois vem aquela cara de: “nossa, coitadinho”, quando ao meu ver era a hora certa da pessoa me abraçar e pularmos gritando: “Parabéns Campeão!” Sabe, realmente não entendo essas pessoas que colocam o fato de encontrar uma pessoa como sendo um dos objetivos primordiais da vida. Como se a ordem natural fosse: nascer, crescer, conhecer alguém e morrer. A meu ver, não é assim. As pessoas se dizem solteiras como quem diz que está com uma doença grave, alguém que precise de ajuda. Não é nada disso. Existe sim vida na “solteridão”! E das boas. E isso não quer dizer farra, putaria, poligamia ou promiscuidade. Aliás, quer dizer sim, mas só quando você tiver afim. No mais quer dizer liberdade, paz de espírito, intensidade. E olha que escrevo isso com algum conhecimento de causa, já que tenho vários anos de namoro no currículo. De verdade, do fundo do coração, eu estou muito bem solteiro. Acho até que melhor que antes. Gosto de acordar pela manhã sem saber como vai terminar meu dia. Gosto da sensação do inesperado, da falta de rotina e de não ter que dar satisfação. Gosto de poder dizer sim quando meu amigo me liga na quinta-feira perguntando se quero viajar com ele na manhã seguinte. De chegar em casa com o Sol nascendo. De não chegar em casa as vezes. De conhecer gente nova todos os dias. De não ter que fazer nada por obrigação. De viver sem angústia, sem ciúme, sem desconfiança. De viver. Acredito que todo mundo precisa passar por essa fase na vida. Intensamente inclusive. Sabe, entendo que talvez essa não seja sua praia. Ou talvez você nunca vá saber se é. Eu mesmo não sabia que era a minha, e veja só você, hoje sou surfista profissional. O que percebo são pessoas abraçando seus relacionamentos como quem segura uma bóia em um naufrágio. Como se aquela fosse sua última chance de sobrevivência. Eu não quero uma vida assim. Nessa hora talvez você queira me perguntar: “Mas e aí? Vai ficar solteirão para sempre? Vai ser assim até quando?” E eu vou te responder com a maior naturalidade do mundo: “Vai ser assim até quando eu quiser”. Quando encontrar alguém que seja maior que tudo isso, ou talvez alguém que consiga me acompanhar. E não venha me dizer que aquele relacionamento meia boca seu é algo assim. O que eu espero é bem diferente. Quando se gosta da vida que leva, você não muda por qualquer coisa. Então para mim só faz sentido estar com alguém que me faça ainda mais feliz do que já sou, e como sei que isso é bem difícil, tenho certeza que o que chegar será bem especial. E se não vier também está tudo bem sabe? Eu realmente não acho que isso seja um objetivo de vida. Não farei como muitos que se deixam levar pela pressão dessa sociedade. Tanta gente namorando pra dizer que namora, casando pra não se sentir encalhado, abdicando da felicidade por um status social. Aí depois vem a traição, vem o divórcio, a frustração e todo o resto tão comum por aí. Não, não. Me deixa quietinho aqui com minha vida espetacular. Pra ser totalmente sincero com você, a real é que não é sua situação conjugal que te faz feliz ou triste. Conheço casais extremamente felizes e outros que estão há anos fingindo que dão certo. Conheço gente solteira que tem a vida que pedi para Deus e outros desesperados baixando aplicativos de paquera e acreditando que a(o) ex era o grande amor e que perdeu sua grande chance. Quanta bobagem. A verdade é que só você mesmo pode preencher o seu vazio, e colocar essa missão nas mãos de outra pessoa e pedir pra ser infeliz. Conheco sim vários casais incríveis, assim como tantos outros que não enxergam que estão se matando pouco a pouco. Só peço que não deixem que o medo da solidão faça com que a tristeza pareça algo suportável. Viver sozinho no início pode parecer desesperador, mas de tanto nadar contra a maré, um dia você aprende a surfar. E te digo que quando esse dia chegar, você nunca mais vai se contentar em ficar na areia. Desse dia em diante só vai servir ter alguém ao seu lado se este estiver disposto a entrar na água com você.”
ByIMG_2482.JPG

Noites tranquilas… ou manhãs!

Desde há uns anos para cá que durmo com a porta do quarto semi aberta. Se a ideia é óptima para o logística do Gato, já não funciona tão bem no que diz respeito a dormir!

Ao contrario da maioria das pessoas, que acorda com a luz do dia e começa a fazer a sua vida, eu acordava com o nascer do sol e ficava a rebolar na cama, até que voltava a adormecer minutos antes do despertador tocar. Escusado será dizer que acabava por dormir mal, adormecer todos os dias e era um drama diário. Felizmente descobri as vendas para os olhos e comecei a usar todas as noites. Desde então tem sido um descanso!

Não há muita oferta em Portugal, ou pelo menos das boas. Mas a Zara Home tem para mim as melhores a nível qualidade preço. São confortáveis e muito giras. Tenho preferencia pelas pretas, mas este ano vou arriscar numa mais colorida para o verão.

20130322-122041.jpg

20130322-122057.jpg

20130322-122142.jpg

20130322-122226.jpg

Por via das duvidas vou ter uma mais calma… não vão as outras terem cor a mais e ser uma excitação…

20130322-122532.jpg

20130322-122612.jpg

20130322-122632.jpg