Oscars 2016

Hoje foi noite de oscars e mais uma vez reuniram-se os amigos em torno da cerimónia e fizemos a nossa votação. A noite foi longa mas valeu muito a pena!

Os resultados variaram entre os esperados e os inesperados, o racismo e a diversidade…e eu tenho mesmo de ir ver o Mad Max! 

Melhor atriz secundaria: Alicia Vikander – The Danish Girl  

 Melhor guarda Roupa: Mad Max

Melhor cenografia: Mad Max

Melhor caracterização: Mad Max

Melhor fotografia: The Revenant

Melhor edição/ montagem: Mad Max

Melhor edição de Som: Mad Max

Melhor mistura de som: Mad Max

Melhor Efeitos visuais: Ex Machina

Melhor Curta Metragem de animação: Bear Story

Melhor filme de animação: Inside Out

Melhor Actor secundário: Mark Rylance – Bridge of Spies  

Melhor Curto Documentário: A Girl in the river: The Price of Forgiveness
Melhor Documentário: Amy

Melhor Curta Metragem: Strutter

Melhor Filme Estrangeiro: Son of Saul

Melhor Banda Sonora: The Hateful Eight

Melhor Música: Writing’s On the Wall – Spectre

Melhor realizador: Alejandro j. Iñarritu – The Revenant

Melhor Actriz: Brie Larson – Room  

Melhor Actor: Finalmente Leonardo DiCaprio  

Melhor Filme: Spotlight 

 

The Revenant

Ontem foi a ante estreia de um dos filmes mais nomeados para os óscars, e pelo qual eu suspirava. De todos os nomeados que vi até agora, The Revenant é sem dúvida “O” filme, e é daqueles filmes que tem mesmo de ser visto no cinema.

O ano passado foi mais que compreensível, mas se desta vez Leonardo DiCaprio não levar o óscar para casa começo a duvidar dos júris da academia. Ainda assim o filme não é só DiCaprio. O relato da lei da sobrevivência, da brutalidade, crueldade e carnificina da época, ou melhor, do próprio ser humano, em cenários naturais filmados com luz natural, é top. O argumento que já todos sabem… atacado pelo urso, que afinal é uma ursa, bla bla bla… permite diálogos quase nulos, excepção feita aos monólogos de Tom Hardy, que tudo viva das expressões das ínfimas personagens e da fotografia.

São 2H e meia de puro deleito, e muitas caretas de horror que este é um filme de Alejandro G. Iñarrito  mas uma poça de sangue na neve imaculada tem bem mais impacto que as milhares que aparecem nos filmes de Tarantino.

281957_pt

 

A Modista

Quem acha que um outfit não muda uma vida claramente não percebe nada de moda… e muito menos da vida!!!
Ao contrário do que parece A Modista é uma história de vida, de atitude que relata muito bem a mentalidade fechada dos meios sociais pequenos, de quem vive a vida dos outros, e não um romance onde a Gata Borralheira encontra o seu príncipe… e que príncipe! Kate Winslet está simplesmente fabulosa como protagonista, com uma atitude tão forte que quase não nos apercebemos do excesso de curvas que indiferentemente sempre assumiu, ainda que as atenções sejam sistematicamente desviadas para Liam Hemsworth e, como já era de se esperar, para o guarda roupa que embora seja exagerado para a envolvente está perfeito e pode ser entregue cá em casa que será muito bem recebido. Hugo Weaving e Judy Davis, dão um pouco de humor ao drama enquanto sustentam o drama de se viver rodeado de mentalidades fechadas que vivem da fachada.

A banda sonora é deliciosa e já estou em acção para que faça parte da minha playlist no spotify.
542716Não vai ser nomeado para o melhor filme nos Óscares, quanto muito para melhor guarda roupa, confesso que ainda não vi, mas vale muito a pena ver.

Netflix 

Faz um ano que ouvi falar de uma app onde se podiam ver séries e todos os filmes do momento. Amante de cinema e sem jeito nenhum para “sacar filmes” ansiei pela sua chegada como uma criança anseia por um chupa gigante, hoje foi o dia em que a minha espera terminou!

Netflix é a app do momento, estreou hoje em Portugal e já estou registada. Está para as séries e para os filmes como o Spotify está para a música. É tudo legal, vem tudo legendado na língua que escolhemos e tem 3 planos de pagamento. Não sou fã de séries, e confesso que não só não tenho tempo como não tenho paciência para vê-las, mas filmes é outra história. Adoro filmes, dos melhores aos piores vejo todos. Conto os segundos para algumas estreias, vejo os Óscares noite dentro e sempre que posso enfio-me numa sala de cinema, ainda assim nem sempre consigo ir ver todos.

Pelo que vi hoje a selecção de filmes ainda não é a melhor, nem a mais actualizada, mas espero que muito em breve esteja actualizada ao segundo, que faça o lançamento dos filmes assim que estreiem no cinema, e que venha a funcionar tão bem ou melhor que o Spotify na música!

Se o netflix vai fazer fechar salas de cinema? Não, os amantes do cinema vão sempre querer ver filmes numa tela gigante, com o melhor som que existe e usufruir desta experiência única. Vai acabar sim com a pirataria, com tudo o que é sites ilegais, e fazer com que aqueles que por questões familiares e/ou financeiras não podem ir ao cinema com muita frequência possam estar actualizados, não tenham de esperar 6 meses até que um filme saia no club de vídeo ou pior que isso, ter de fazer downloads ilegais. 

  

Black Mass

É verdade que no fim de semana passado houve milhões de eventos mas isso não foi motivo para faltar ao cinema. 

Black Mass foi o eleito e é simplesmente imperdível. A história verídica de Whitey Bulger, o irmão criminoso de Billy Bulger, Presidente do Senado em Massachusetts na época, deixa-nos presos à tela do início ao fim.

Um elenco de luxo, pouco explorado, onde Johnny Deep se destaca não só pela sua interpretação mas também pela caracterização que o torna irreconhecível no papel de Whitey Bulger. 

Whitey Bulger é sem duvida um ser de personalidade estranha, que oscila entre o filho devoto, pai extremoso, com fortes valores de lealdade, e o criminoso psicopata. Não é por acaso que foi o número 2 dos mais procurados nos Estados Unidos e continua hoje, aos 86 anos,  preso.

   
   

Manual do Amor

Nunca fui conhecedora de filmes italianos, tirando o mítico “a vida é bela” acho mesmo que nunca tinha assistido a nenhum. No início do ano trouxeram-me alguns filmes para ver, um dos quais era o Manual do Amor.

Fiquei completamente apaixonada pelo filme. É um retrato da vida tal e qual como ela é, vista de uma perspectiva deliciosamente divertida. Ao longo dos anos fomos passando pelas várias etapas amorosas que a vida nos proporciona o que torna impossível não nos identificamos com todas as personagem. A forma como as histórias de vão sucedendo, a introdução de novas personagens que dão lugar a novas histórias é simplesmente genial. Nada melhor para um serão de início de ano!!!

IMG_5637.JPG