Em busca da base perfeita… não há!

Ao contrário do corpo, em que não deixo escapar um único creme com glitter para andar por aí em modo Barbie cintilante, no rosto não há nada que me enerve mais que aquele brilho que as peles mistas insistem em criar! Não gosto de peles secas, e muito menos a escamar, mas adoro uma pele 100% mate, o que torna tudo mais difícil. Não há cremes anti rugas mate e as bases líquidas parece que ainda activam mais os brilhos. 
Depois de experimentar bases líquidas, bases em pó e concluir que nada é mais matificante que uma base em pó, e nada dá melhor cobertura que uma base líquida, rendi-me às evidências, fui directa à MAC comprar o que vinha a adiar há séculos, uma base oil free e um pó mineralize skinfinish. 3 semanas depois posso concluir que foi a melhor compra que fiz nos últimos tempos. Poros nem vê-los e pele 100% mate. 

   
 
Se é uma canseira ter de andar a retocar o pó de 3 em 3h? É mas antes isso que brilhos ou poros à vista! 

Advertisements

The Betches 

É verdade que apesar de loira tenho mais de 2 neurónios, é verdade que sou uma mulher de trabalho e é a ele que dedico quase todo o meu tempo, e também é verdade que tenho as minhas prioridades muito bem definidas, mas isso não significa que não seja a rainha da futilidade e dedique parte das minhas férias a ler livros 100% fúteis que me fazem rir do início ao fim… ou até à pág 98… de miúdas igualmente fúteis e inteligentes ao ponto de tornar a sua futilidade num negócio como as Betches!
Algures no Verão passado, ou no outono já não me recordo, li um artigo, numa revista que também já não me recordo, sobre o fenômeno que estavam a ser as Betches nos Estados Unidos, fui espreitar o site, vi que a base era um blog mas não comecei a segui-lo que trabalho e não tenho tempo para isso. Optei por segui-las no instagram, e desde então tenho-me rido com a maioria dos disparates que postam. 

Comprei o livro para relaxar durante os poucos dias de descanso que vou ter de férias e até agora não me arrependi. É impossível não me rever na maioria dos disparates que escrevem quando tinha a idades delas. O facto de ser europeia, de nunca querer depender de um homem para me sustentar e de ser de uma geração completamente diferente, faz muita diferença, mas a base era a mesma, a beleza e as noitadas é que eram importantes. O cerimonial que era para irmos para a Kapital. Não é o livro que vai marcar as vossas vidas, que vai ensinar a uma pessoa de 39 anos algo de novo, mas é aquele que precisamos ler quando nos queremos rir, e o ideal para esvaziar a cabeça quando temos 2 livros de estratégias comerciais para ler.