Oscars 2016

Hoje foi noite de oscars e mais uma vez reuniram-se os amigos em torno da cerimónia e fizemos a nossa votação. A noite foi longa mas valeu muito a pena!

Os resultados variaram entre os esperados e os inesperados, o racismo e a diversidade…e eu tenho mesmo de ir ver o Mad Max! 

Melhor atriz secundaria: Alicia Vikander – The Danish Girl  

 Melhor guarda Roupa: Mad Max

Melhor cenografia: Mad Max

Melhor caracterização: Mad Max

Melhor fotografia: The Revenant

Melhor edição/ montagem: Mad Max

Melhor edição de Som: Mad Max

Melhor mistura de som: Mad Max

Melhor Efeitos visuais: Ex Machina

Melhor Curta Metragem de animação: Bear Story

Melhor filme de animação: Inside Out

Melhor Actor secundário: Mark Rylance – Bridge of Spies  

Melhor Curto Documentário: A Girl in the river: The Price of Forgiveness
Melhor Documentário: Amy

Melhor Curta Metragem: Strutter

Melhor Filme Estrangeiro: Son of Saul

Melhor Banda Sonora: The Hateful Eight

Melhor Música: Writing’s On the Wall – Spectre

Melhor realizador: Alejandro j. Iñarritu – The Revenant

Melhor Actriz: Brie Larson – Room  

Melhor Actor: Finalmente Leonardo DiCaprio  

Melhor Filme: Spotlight 

 

Advertisements

The Revenant

Ontem foi a ante estreia de um dos filmes mais nomeados para os óscars, e pelo qual eu suspirava. De todos os nomeados que vi até agora, The Revenant é sem dúvida “O” filme, e é daqueles filmes que tem mesmo de ser visto no cinema.

O ano passado foi mais que compreensível, mas se desta vez Leonardo DiCaprio não levar o óscar para casa começo a duvidar dos júris da academia. Ainda assim o filme não é só DiCaprio. O relato da lei da sobrevivência, da brutalidade, crueldade e carnificina da época, ou melhor, do próprio ser humano, em cenários naturais filmados com luz natural, é top. O argumento que já todos sabem… atacado pelo urso, que afinal é uma ursa, bla bla bla… permite diálogos quase nulos, excepção feita aos monólogos de Tom Hardy, que tudo viva das expressões das ínfimas personagens e da fotografia.

São 2H e meia de puro deleito, e muitas caretas de horror que este é um filme de Alejandro G. Iñarrito  mas uma poça de sangue na neve imaculada tem bem mais impacto que as milhares que aparecem nos filmes de Tarantino.

281957_pt